22/03/2013

NOVA ANTIGA FOTO DE KRISTEN NO SET DE THE RUNAWAYS


Fonte | Via via: robstendreams

ENTREVISTA DE KRISTEN PARA AZ CENTRAL





Vamos ver, se Kristen Stewart, será sempre lembrada como a atriz dos filmes de “Crepúsculo”.

É o que acontece quando se encara uma franquia. Mas Stewart tem feito interessantes filmes bem mais pequenos, como “The Cake Eaters”, “Adventurenland ” e “The Runaways” (no papel da jovem Joan Jett).

“On The Road”, com direção de Walter Salles, versão do famoso livro de Jack Kerouac, ofereceu a Stewart outra chance para se afastar de Bella Swan. Ela faz o papel de Marylou, ex-esposa do personagem baseado em Neal Cassady ( caracterizado por Garrett Hedlund ). Stewart conversou sobre isso e em como foi equilibrar a vida entre enormes sucessos.

Pergunta: Fez filmes de grande e pequeno porte. Este está num algum lugar no meio deles. Sente a diferença quando os faz?

Resposta: Definitivamente não sinto como um movimento independente que realmente temos que vender para fazer as pessoas entenderem. A natureza da história, eu acho, as pessoas esperam por isso há décadas, por isso investem em qualquer coisa, qualquer pessoa que queira ver, provavelmente sabem sobre ele.

P: Este é um daqueles livros que por muito tempo foram considerados não filmáveis? Isso deu alguma pressão?

R: Oh Deus, absolutamente não. Walter, quantas pessoas passaram anos produzindo documentários em pesquisas de um possível filme? Ele não estava nem sequer confiante que iria fazer o filme. Estava simplesmente a conduzir e satisfeito em pesquisar e pensar sobre talvez um filme. A honra em que esta coisa esta mergulhada, é difícil de tocar. O valor do trabalho é que faz se sentir válido, até mesmo por estar lá, até mesmo por considerar em ajudar, é louco – absolutamente para mim, sem precedentes.

P: Uma versão do filme vem sido discutida há anos.

R: Eu acho que se olharmos para uma lista dos atores que vieram antes de nós ( que discutiram sobre o filme) então aqueles anos passaram. E então o próximo conjunto de atores, deixaram-no passar. Dessa forma, isso vai realmente acontecer com a gente? Isso realmente vai acontecer?

P: Não seria simplesmente feio ser um daqueles que o deixaram passar?

R: Oh, Deus, seria horrível. Não estávamos completamente cientes de que o filme iria acontecer até estarmos literalmente dentro do set, a filmar. Mesmo durante o ensaio foi como, caramba, vai realmente acontecer? Teria sido a experiência mais horrível e dolorosa. Mas ao mesmo tempo, toleravelmente esperamos. Acho mais surpreendente do que quando estávamos a filmar.

P: Como se prepara para um papel destes?

R: Acho que a única forma de satisfazer alguém que ama “On The Road” com uma versão do filme é genuinamente ter experiências reais e esperar que as pesquisas que se fez e o seu amor pelo o livro encontre um caminho no seu corpo e em seus ossos, em vez das leituras de linhas, através das pontas, planeando cenas que se recordaria do livro. Mas cada um tem uma experiência diferente ao ler aquele livro. Acho que ponto é olhar para as pessoas se surpreenderem a si mesmas do que empacotar e fazer uma entrega a elas.

P: A recepção do filme importa para si? E de qualquer outro filme?

R: Quando realmente me preocupo sobre como algo vai ser consumido e em que nível… Geralmente como ator deveria pensar no futuro. Deveria olhar para a frente ao invés de atrás. Se a experiência deazer o filme não foi o bastante e precisa desse tipo de validação para terminar o processo, então esta apreciando motivos diferentes dos meus.

P: Esta é a segunda vez que provavelmente será associada com personagens de livros famosos. É estranho que algumas pessoas pensem si quando o lêem?

R: Sim. É muito alucinante. Outro dia trouxeram muitas cópias de “On The Road” para assinar-mos. O fato de eu estar mesmo a assinar o meu nome no livro realmente surpreendeu-me. É uma loucura.



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...